O que não te contam sobre anti-inflamatórios: você não vai acreditar!

Idosa surpresa lendo no celular

Você sente uma dorzinha por alguns dias, um desconforto nos ombros ou na coluna, e pensa logo em tomar anti-inflamatórios, já que o relaxante muscular não funcionou. E, de repente, se passam 2 semanas em um ciclo de automedicação sem fim. Quanto à dor, ela diminui, mas logo depois volta. E é aí que mora o problema. Você não vai acreditar nos perigos por trás disso!

Como a automedicação com anti-inflamatórios afeta a nossa saúde?

Pessoa derramando pote com pílulas de anti-inflamatórios na mão

De fato, eles controlam a dor, pelo menos por um tempo. Mas o uso prolongado atrapalha o que você menos espera: A CURA DO PROBLEMA.

O que acontece é o seguinte: quando usamos anti-inflamatórios por um certo tempo, ele começa a atrasar o reparo daquele local que foi lesionado, o que também atrasa o retorno da função normal do órgão. Anti-inflamatórios são perigosos, pois podem causar desde um leve desconforto no estômago, até confusão mental e doenças do fígado que podem levar a casos mais graves.

Muita gente não sabe disso e continua se automedicando sem ter noção nem de quanto tempo já usa o remédio. E, como não exigem receita médica, os anti-inflamatórios continuam praticamente fazendo parte da nossa vida.

No geral, o uso abusivo de anti-inflamatórios pode causar problemas como:

  • Úlceras;
  • Gastrite;
  • Hepatite medicamentosa;
  • Insuficiência renal;
  • Elevação da pressão arterial;
  • Aumento de peso ou anorexia;
  • Alergias;
  • Insônia;
  • Inibição do ciclo menstrual;
  • Dores de cabeça;
  • Fraqueza.

Anti-inflamatórios também costumam mascarar doenças, dificultando o processo de diagnóstico e tratamento. Claro que a dosagem máxima segura varia de pessoa para pessoa, mas a longo prazo, todos acabam tendo problemas de saúde. Muitos medicamentos foram e estão sendo retirados do mercado em face desses e outros riscos à vida. Por isso, é importante nunca se automedicar, e procurar um médico.

A solução para isso é 100% natural

Colher com cúrcuma em pó

As plantas medicinais demonstram uma grande eficácia para ajudar no tratamento de inflamações, logo, podem ser consideradas como formas complementares de tratamento, afinal, existem várias outras medidas que influenciam na recuperação do organismo, e tudo deve ser conversado previamente com um médico.

Plantas como garra-do-diabo, arnica, salgueiro-branco, pimenta Cayenne, freixo e erva-baleeira, podem ser utilizadas como cremes, compressas, óleo essencial, chás e suplementos. Uma planta que tem sido muito usada é a cúrcuma, uma raiz muito parecida com o gengibre, utilizada com frequência na culinária indiana, e é muito mais do que um simples tempero. São várias as pesquisas que demonstram os diversos benefícios da curcumina (curcuminoide que é o princípio ativo da cúrcuma) para a saúde. 

Um suplemento composto de cúrcuma recomendado por estudiosos é o Fito Cúrcuma, que possui substâncias poderosas na luta contra inflamações, como as da artrite. Na composição, também está a piperina (que vem da pimenta preta). Os dois compostos juntos têm o poder de acabar com as dores articulares. A forma revolucionária descoberta na Índia já está à venda no Brasil.

Acesse o site oficial do Fito Cúrcuma e conheça todos os seus benefícios.

Deixe uma resposta